Primeiro aluguel: o que fazer na hora de escolher um apartamento para alugar

Chegou a hora de sair da casa dos seus pais, o tão sonhado “sair do ninho”. Mas, encarar essa nova fase e procurar um apartamento para alugar pode ser desafiante e cheio de receios, não é mesmo? Diariamente, nós recebemos dezenas de pessoas que vão passar pelo seu primeiro aluguel, e elas vêm sempre com muitas dúvidas de como agir nesse momento, qual o melhor apê, se deve escolher um mobiliado ou como funcionam as formas de pagamento.  

Por isso, reunimos aqui as melhores dicas do que fazer ou planejar nesse momento, e o que poderia ser algo estressante, se transformar em algo especial e que você vai lembrar com carinho no futuro! Afinal, ter o nosso próprio cantinho é tudo de bom.  

  1. Faça um planejamento financeiro e tenha uma reserva de emergência 

Coloque na ponta do lápis todas as despesas que você já possui e as que você vai começar a ter agora que mora sozinho e inicia uma nova vida. É importante calcular as contas diretamente relacionadas ao imóvel (aluguel, condomínio, seguro incêndio) e contas do dia a dia, como o valor do transporte, com alimentação, plano de saúde, etc…assim, você não é pego de surpresa no final do mês. 

Outra dica financeira importante é ter uma reserva de emergência. Querendo ou não, imóveis sempre necessitam de pequenos reparos: é um chuveiro que queima ou uma torneira com vazamento. Ter uma grana guardada para esses momentos é muito importante.  

  1. Pesquise sobre a região do imóvel 

Você entrou no nosso site e fez uma pré-seleção dos imóveis que mais se interessou e agora agendou as visitas. Legal! O próximo passo é pesquisar a localização deles, principalmente se você for novo em Curitiba e Região. Confira se a região é próxima dos lugares que você vai precisar se deslocar no dia a dia, como trabalho, faculdade ou escola dos filhos.  

É interessante também caminhar pela vizinhança do prédio. Conhecer o bairro em que você vai morar é essencial para entender se combina com o seu estilo de vida!  

  1. Observe os detalhes durante as visitas 

Alguns detalhes podem passar despercebidos durante a visitação, então a gente reforça pra você se atentar a eles: verifique as condições do apartamento, pergunte ao corretor quantos anos o prédio possui, se há a necessidade de alguma reforma, confira a parte hidráulica (torneiras, chuveiros, descargas) e elétrica (faça um teste carregando o seu celular e tocando a campainha).  

  1. Se atente à segurança do condomínio  

Ao verificar a localização do imóvel, veja se é uma rua bem policiada ou segura para morar. Pergunte ao corretor se o condomínio possui vigilância 24h, como câmeras de segurança e portaria.  

Não esqueça que ao se mudar, você deve fazer a troca da fechadura e chaves da entrada do apartamento.  

  1. Questione as regras do condomínio 

O prédio possui alarme automático após um horário? O condomínio possui academia, piscina, salão de festas, churrasqueira ou outras áreas em comum? Preciso fazer reserva? Até quais horários? Tire suas dúvidas sobre o uso compartilhado e outras regras de convivência.  

  1. Escolheu o apê? Separe a documentação  

Entre os documentos solicitados ao inquilino, geralmente estão: documento de identificação com foto, CPF, comprovante de renda e os mesmos documentos de um fiador (quando necessário). Com a papelada separada, agiliza o momento de se mudar para o novo lar!  

  1. Solicite uma vistoria  

Antes de assinar o contrato, a vistoria é feita pelo proprietário, com apontamentos de todos os detalhes do imóvel. A vistoria fica documentada e você deve revisar com bastante atenção. Em caso de contestação, você deve entrar em contato com a imobiliária!  

  1. Confie na Imobiliária Razão e nossos parceiros 

Conte com a expertise de quem entende de imóveis há mais de 30 anos! Nós te orientamos durante todo o processo do aluguel, além de termos os parceiros que podem facilitar toda a parte burocrática! Com a CredPago, em menos de 1 minuto você recebe uma resposta de análise de crédito!  

 

Conseguimos tirar todas as suas dúvidas? Agora é só escolher o seu apê, com certeza você vai se apaixonar pelos imóveis disponíveis em nosso site!  

Acessibilidade em imóveis: uma questão de amor ao próximo

Quem não sofre de nenhum tipo de deficiência nem se dá conta de como pequenas coisas do dia a dia podem ser complicadas. Tipo subir uma escada se você é cadeirante, ou mesmo passar por uma porta estreita demais para a cadeira.

Só quem convive com uma deficiência ou com uma PCD (pessoa com deficiência) sabe quanto a acessibilidade é importante. Isso vale para todas as áreas, claro, afinal a sociedade nunca deve excluir as minorias: as soluções precisam ser para todos.

E isso se aplica também no mercado imobiliário: desde o início do ano passou a vigorar o decreto nº 9.451/2018, que regulamenta o artigo 58 da Lei Brasileira de Inclusão (nº 13.146/2015) e prevê que todas as unidades de novos empreendimentos residenciais de edificação sejam adaptáveis às necessidades de acessibilidade de pessoas com deficiência. O decreto também prevê que a construtora deve ser responsável por essas adaptações, se necessárias.

Na prática, o decreto enriquece o conteúdo do artigo 58, que já exigia que as construtoras e incorporadoras assegurassem que um percentual mínimo de suas unidades fossem internamente acessíveis,e que nenhum valor adicional deveria ser cobrado na aquisição delas.

Essa solução acabava ficando aquém do ideal: as construtoras limitavam as unidades acessíveis ao térreo, ou a unidades desvalorizadas de um empreendimento, o que vai contra o princípio mais básico da inclusão social que é não segregar nenhuma minoria.

Com o decreto que passou a vigorar este ano, todas as unidades de novos empreendimentos devem possuir características construtivas que permitam adaptações a fim de garantir acessibilidade, sem prejudicar as instalações nem a estrutura da edificação.

Isso inclui, por exemplo, largura mínima de portas e corredores, altura adequada de janelas, instalação de maçanetas tipo alavanca, barras de apoio nos banheiros, reforço nas paredes onde elas forem aplicadas e até equipamentos de comunicação – como interfone, campainha e alarme – acessíveis para todos.

E isso vale para qualquer andar. Se um cadeirante quer morar no 17º andar de um prédio que ainda será construído, ele deve poder fazer isso. Cabe à construtora oferecer os recursos para que os ajustes necessários sejam feitos, sem custo extra ao comprador e sem danos à estrutura do empreendimento.

Aqui na Imobiliária Razão, nos preocupamos muito com acessibilidade. A chamada “melhor idade” quer viver com conforto e segurança, e é nosso dever encontrar imóveis que possam suprir estas necessidades.

A mudança da lei é muito recente, então estamos dando um passo de cada vez. Em um primeiro momento, fazemos o possível para apresentar aos clientes interessados imóveis de nível único, apartamentos térreos ou com garden, e imóveis/condomínios que já possuam estrutura de acessibilidade, ou ofereçam condições simplificadas de adaptação.

Em alguns casos, basta um pouco de boa vontade do proprietário: instalação de barras fixas em banheiros e escadas, exclusão de desnível entre cômodos ou banheiros, maçanetas tipo alavanca… são coisas simples de resolver, que fazem uma baita diferença na qualidade de vida de idosos e PCD.

 

Vamos passar a oferecer esse tipo de sugestão para proprietários, afinal, uma casa acessível para PCD torna-se uma casa que tem mais potencial de ser vendida ou alugada. É um negócio bom para todo mundo, especialmente para quem precisa.

Mas a acessibilidade também se faz presente nas pequenas coisas: a facilidade no atendimento, seja online ou presencial. Nos esforçamos para atender aos nossos clientes da melhor maneira possível, e vamos continuar investimento em recursos e ferramentas que tornem a Imobiliária Razão cada vez mais próxima, mais acessível.

Cada pequena iniciativa faz diferença nessa luta, e nós estamos fazendo a nossa parte, um pouquinho de cada vez. Quando se fala em acessibilidade, estamos do lado de quem importa: as pessoas.

Aluguel para estudantes em Curitiba: dicas para escolher o imóvel ideal

Curitiba tem diversas universidades renomadas: UFPR, PUC, UTFPR, Universidade Positivo, Tuiuti, entre outras. Isso atrai um grande número de estudantes todos os anos, que sonham em passar no vestibular e iniciar uma vida acadêmica promissora.

Para quem já vive na capital paranaense, isso não é tao complicado, mas há muitos jovens que vêm de outras cidades — e mesmo de outros estados — para prestarem seus vestibulares por aqui. Se forem aprovados, passarão alguns anos por aqui.

Continue lendo “Aluguel para estudantes em Curitiba: dicas para escolher o imóvel ideal”